11.8 C
Vila Real
Sexta-feira, Janeiro 15, 2021
Inicio Internacionais União Europeia Dia 1 - Entrevista com Sandra Araújo da EAPN Portugal

Dia 1 – Entrevista com Sandra Araújo da EAPN Portugal

A EAPN Portugal é parte da Rede Europeia Anti-Pobreza, que é composta por redes nacionais, regionais e locais de ONGs, e foi fundada em Bruxelas em 1990. Logo no ano seguinte criou-se a rede portuguesa. Por ocasião do XI Fórum da EAPN Portugal, que tem por tema as relações da imprensa com a pobreza, falámos por telefone com a sua directora executiva, Sandra Araújo*.

«Cada pessoa escolheu a palavra que quis escrever no seu próprio corpo»

PM: Esta nova campanha é diferente, em que difere de outras anteriores? SA: Esta campanha é protagonizada pelas próprias pessoas em situação de pobreza, não por técnicos de organizações. Foram pessoas que decidiram dar o corpo e a alma, que se ofereceram, não fizemos casting, nem ensaios, a EAPN não interferiu. Voluntariaram-se sete pessoas e pedimos ajuda ao Pedro Neves para elaborar o projecto. Cada pessoa escolheu a palavra que quis escrever no seu próprio corpo. Foram elas as protagonistas da campanha, porque sabem melhor que ninguém. Queremos a consciencialização da importância do combate à pobreza e isso depende também das pessoas e do seu empoderamento.

1º dos 7 vídeos da actual campanha da EAPN Portugal:
PALAVRAS COM CORPO E ALMA. PORQUE A POBREZA NÃO É FICÇÃO.

«A EAPN tem intervenção a nível político»

PM: Como descreve o vosso trabalho? SA: É um trabalho no dia-a-dia, trabalhamos em várias situações em todo o país. A EAPN tem intervenções a nível político junto dos governos, dos parlamentos e dos partidos, nomeadamnte para que esta luta seja inscrita nos seus programas. Fazemos também com que a informação seja acessível aos actores para influenciar a acção. Temos projectos em curso no terreno: um protocolo com o IEFP respeitante à empregabilidade dos desempregados de longa data, dos que recebem o RSI e estamos a incluir a empregabilidade das comunidades ciganas — trabalhamos a nível municipal. Temos núcleos em todos os distritos, e agora também na Madeira. Damos igualmente atenção à formação de técnicos no sector privado e no sector público. Tem de haver assistência porque há que responder às necessidades básicas para se poder depois avançar.

«Mudar o modelo económico… é quase um trabalho de sapa»

PM: Como é que se luta contra a pobreza num sistema que está feito de desigualdades, num sistema que é ele mesmo criador de pobreza? SA: É preciso mudar as estruturas que produzem a pobreza. Mudar o modelo económico implica uma escolha política. É quase um trabalho de sapa. Há muitos estereótipos associados à pobreza e acabar com eles é um trabalho moroso. Neste Dia Internacional de Combate à Pobreza , a EAPN faz um pouco de altifalante.

*Sandra Faria Araújo é natural de Moçambique e tem 50 anos de idade. É licenciada em Serviço Social pelo Instituto Superior do Porto, com uma pós-graduação em Gestão de Organizações Sem Fins Lucrativos pela Universidade Católica — Centro Regional do Porto.

Entre 1992 e 1994 exerceu funções de técnica superior de Serviço Social no Projecto de Luta Contra a Pobreza, no Centro Histórico de Gaia.

Em 1994 ingressou na Rede Europeia Anti-Pobreza e integrou o Projeto GIIF (Iniciativa Comunitária Horizon) exercendo funções nas áreas da informação e formação. Entre 1996-1999  foi membro da equipa da EAPN responsável pela concepção e implementação de um projecto comunitário no quadro da Iniciativa Comunitária Emprego — Eixo Integra, para a construção de redes locais de desenvolvimento e solidariedade social (PROJETO SIFAT).  Este projecto expandiu ao nível nacional a Rede Europeia Anti-Pobreza  com a implementação de núcleos regionais.

Entre 1999 e 2006 assumiu funções de Coordenadora Técnica Nacional  com particulares responsabilidades nas áreas de: desenvolvimento e formação da Instituição; desenvolvimento de projectos nacionais e comunitários; dinamização de grupos de trabalho temáticos e representatividade instituicional em diferentes instâncias nacionais e europeias.

Desde 2006 exerce o cargo de Directora Executiva da instituição. A sua actividade profissional tem estado intimamente ligada ao combate à pobreza e às desigualdades sociais; à análise e leitura política das medidas e programas sobre as quais a EAPN  tem necessidade de se pronunciar; à coordenação de gestão de projectos de dimensão nacional e internacional e à gestão de recursos humanos.

É também sub-directora da Revista Focussocial, Revista de Economia Social da EAPN Portugal.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, introduza a sua mensagem!
Por favor, introduza o seu nome aqui

Últimas Notícias

Martim Pereira, o talento Penaguiota

Martim Pereira, Fontense de gema, tem 12 anos e é tido como a futura promessa do futebol português. Quem o conhece, fala da personalidade discreta e humilde que o caraterizam. Embora discreto, o seu talento a dominar a bola não passa ao lado dos olheiros do futebol, a quem desde cedo começou a despertar a atenção.

Tomada de posse dos órgãos sociais da FCM

Durante o dia de ontem decorreu a cerimónia de tomada de posse da nova direção da Fundação Dr. Carneiro Mesquita (FCM).

Agência CA de Fontes reabre na próxima semana

Durante a fase crítica da pandemia provocada pela COVID-19, esta agência CA manteve-se em permanente contacto com a Junta de Freguesia, no sentido de continuar a disponibilizar os serviços mais urgentes aos clientes fontenses, como o transporte e entrega das pensões aos mais carenciados ou grupos de risco e o permanente funcionamento do Multibanco.

Comércios Fontenses em tempos de pandemia – Móveis Chico e Supermercado

A vila de Fontes, em Santa Marta de Penaguião, é uma das localidades que, até ao momento, não registou qualquer caso de infeção por coronavírus.

Comentários Recentes

Graça Jacinto on Na cavaqueira com…
Lurdes Teixeira on Na cavaqueira com…
Graça Jacinto on Na cavaqueira com…
Graça Jacinto on Na cavaqueira com…
Acacio Mesquita Carvalho on Na cavaqueira com…
Graça Jacinto on Acidente mortal no Cóvo